Novas Tecnologias para sementes são atrações no Show Rural 2022

09/02/2022

Empresas públicas e privadas do agronegócio de todo o Brasil estão apresentando novas tecnologias para várias culturas durante o 34ª Show Rural Coopavel, de 7 a 11 de fevereiro, em Cascavel (PR). Novas cultivares com melhoramento genético, formas de plantio com ganhos de produtividade, novos inseticidas e herbicidas para combater pragas e ervas daninhas com sustentabilidade. É um show de novidades para o campo em apenas cinco dias.

Nesta terça-feira (8), a Embrapa Soja lançou na "Vitrine de Tecnologia" duas novas cultivares de soja, duas de feijão e um curso EAD sobre produção de materiais de plantio de mandioca. A Embrapa Milho e Sorgo apresentou em sua estação os resultados do sistema "Antecipe", que durante 14 anos apresentou aumento de produtividade no plantio do milho 20 dias antes de colher a soja.

PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (9) às 09h00 o IDR-PR lança três cultivares de soja, uma de maracujá-amarelo e outra de mandioca. O grande destaque é a "IPR Luz da Manhã", cultivar e maracujá-amarelo que tem qualidade superior e pode ser destinada ao mercado de frutas secas e também para a indústria de polpa congelada.

Também durante o evento a Ihara lança dois produtos para combater pragas. O inseticida "Hayate" para o combate das principais lagartas de difícil controle na soja e no milho e o herbicida "Sonda" para combater as principais pragas do milho, como o amendoim-bravo, corda-de-viola, picão-preto e trapoeraba.

A Bayer propõe um pacote tecnológico de adensamento de milho para os clientes que participam plataforma Climate Fieldview, um novo modelo de negócio com risco compartilhado com os produtores e a empresa para customização da densidade ideal de milho, permitindo ganhos reais de produtividade. Se o resultado não for o esperado, o produtor recebe de volta na safra seguinte a quantidade de sementes investida.

Embrapa

A Embrapa promoveu cinco lançamentos de tecnologias na terça-feira (8) na Vitrine de Tecnologias da Embrapa no Show Rural. Foram lançadas duas novas cultivares de soja, duas de feijão e um curso EAD sobre produção de materiais de plantio de mandioca.

Soja BRS 546 - é uma soja convencional altamente produtiva e que permite a semeadura antecipada, viabilizando sua inserção no sistema de sucessão e/ou rotação com outras culturas. Apresenta resistência às principais doenças da soja e destaca-se pela resistência aos nematóides de galhas, que trazem prejuízos econômicos nas áreas atingidas pelo problema. A cultivar foi desenvolvida em parceria com a Fundação Meridional.

Soja BRS 559RR - pode ser usada como refúgio em áreas de soja Intacta. Apresenta excelente potencial produtivo e estabilidade de produção no Paraná (RECs 102, 103, 201). Por ser precoce, e poder ser semeada antecipadamente, possibilita a sua inserção no sistema de rotação e/ou sucessão com outras culturas. Também possui ampla janela de semeadura, trazendo maior flexibilidade ao planejamento dos produtores. A cultivar foi desenvolvida em parceria com a Fundação Meridional.

Feijão BRS FC310 - cultivar de feijão comum, com grãos do tipo carioca, ciclo semiprecoce (75-84 dias), excelente arquitetura e resistência moderada às bacterioses importantes à cultura do feijoeiro. Apresenta um potencial de produtividade de 3500 kg/ha. Suas características tornam essa cultivar uma opção para o cultivo na safra e safrinha da Região Centro-sul do Brasil. É recomendada para cultivo em 19 estados brasileiros.

Feijão BRS FS311 - cultivar de feijoeiro-comum do grupo rajado com alto potencial produtivo e grãos graúdos. Apresenta ainda ciclo semiprecoce, moderada resistência à antracnose e ao fusarium oxysporum e arquitetura ereta, que confere possibilidade de colheita mecânica direta. Apresenta potencial de produtividade de 3493 kg/ha. Com base no seu desempenho, a cultivar BRS FS311 é indicada para semeadura em 11 estados.

EAD sobre produção de materiais de plantio de mandioca - o EAD Introdução às estratégias de produção de materiais de plantio de mandioca será disponibilizado na plataforma de cursos à distância da Embrapa (e-Campo). O curso trata dos temas: produção de materiais de plantio de mandioca; alternativas técnicas de multiplicação de material de plantio; sanidade e manejo agronômico na cultura; e estruturação e registros da Rede Reniva (Rede de multiplicação e transferência de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária).

Sistema propõe antecipação de plantio de milho

A Embrapa Milho e Sorgo, em parceria com a Embrapa Soja, apresentou os resultados do "Sistema Antecipe" como estratégia de incremento de produção de soja e milho segunda safra, também conhecido como 'milho safrinha'. O Antecipe foi desenvolvido e aprimorado por pesquisas e validado em várias regiões do País que adotam a safrinha, como Minas Gerais, Paraná, Goiás e Mato Grosso. É um método de cultivo intercalar que possibilita a redução dos riscos causados pelas incertezas do clima durante a segunda safra. As soluções tecnológicas demonstradas trazem incrementos para diferentes segmentos, como produção animal, genética, sistemas de produção sustentáveis de grãos, entre outros.

O sistema de produção de grãos é um método de cultivo intercalar mecanizado de milho segunda nas entrelinhas da soja antes da colheita da leguminosa. Este sistema, desenvolvido ao longo de 14 anos de pesquisa e validação, possibilita antecipar a semeadura do milho segunda safra em até 20 dias antes da colheita da soja. A tecnologia é composta por três pilares: um sistema inédito de produção de grãos, uma semeadora-adubadora desenvolvida para este cultivo e um aplicativo para auxiliar o produtor a planejar de forma correta a implantação do Antecipe no campo.

O pesquisador Décio Karam, líder do projeto, explica que "o Antecipe foi desenvolvido e aprimorado por pesquisas e validado em várias regiões do Brasil". De acordo com ele, os resultados têm sido promissores, permitindo aumentar a produtividade do milho semeado neste sistema, quando comparado ao cereal semeado fora do calendário agrícola definido pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc). Em áreas conduzidas no estado do Paraná ao longo dos anos de validação da tecnologia, os ganhos de produtividade variaram entre 0,5 a 4 sacos por hectare para cada dia de antecipação.

"Esses resultados dependem da época de antecipação, da cultivar de soja utilizada e das condições climáticas dos anos agrícolas em que os trabalhos foram conduzidos", explica o pesquisador Emerson Borghi, da Embrapa Milho e Sorgo.

Novas cultivares de soja, maracujá e mandioca

O IDR prepara o lançamento de cinco novas cultivares no Show Rural. São três cultivares de soja para cultivo orgânico, direcionadas a produtores interessados no mercado de alimentação saudável, uma nova opção de maracujá-amarelo e outra de mandioca para a indústria. As novidades serão apresentadas nesta quarta-feira (9) às 09h00, em evento dirigido a produtores, técnicos, dirigentes e lideranças do agronegócio.

"Uma nova cultivar é sempre uma resposta atualizada a demandas, dificuldades e anseios dos produtores. Esses materiais que agora lançamos não apenas solucionam problemas, mas apontam para um cultivo mais produtivo, rentável e ambientalmente sustentável", afirma o diretor-presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza.

Soja - As cultivares IPR Basalto, IPR Petrovita e IPR Pé-Vermelho, de soja, produzem grãos de sabor delicado e que podem ser usados em preparações culinárias sem tratamento térmico preliminar. "Eliminamos as enzimas que dão gosto desagradável e dificultam o consumo da soja na alimentação humana", explica o pesquisador Wilmar Ferreira Lima. Os novos materiais têm ciclo precoce, alto potencial produtivo, bom desempenho frente às principais doenças que atingem lavouras de soja e ampla adaptação, sendo indicadas para regiões produtoras de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Maracujá-amarelo - IPR Luz da Manhã é a primeira cultivar da espécie de maracujá-amarelo desenvolvida no Paraná. Destaca-se pela qualidade superior e dupla aptidão - a produção pode ser destinada tanto ao mercado de frutas frescas como para a indústria de polpa congelada. Resultado de estudos conduzidos a partir de oito linhagens, IPR Luz da Manhã pode render até 30 toneladas por hectare, às quais é possível somar outras 50 toneladas se o produtor optar por um segundo ciclo de produção - mas essa última opção é recomendada apenas para zonas livres do vírus do endurecimento dos frutos, o CABMV. A cultivar Luz da Manhã é indicada para regiões mais quentes, com pouca ocorrência de geadas.

Mandioca - Própria para a obtenção de farinha e de fécula, IPR Paraguainha, da mandioca, se destaca pelo bom rendimento de amido no processamento industrial. No campo, é cerca de 30% mais produtiva que as cultivares atualmente disponíveis no mercado. Indicada para plantio direto ou convencional, a nova cultivar apresenta resistência moderada às principais doenças que afetam plantios de mandioca. As plantas têm porte médio, o que facilita os tratos culturais na lavoura. A IPR Paraguainha pode ser cultivada tanto em solos de alta fertilidade, argilosos, como em terrenos com maior teor de areia. É indicada para plantio em todas as regiões produtoras do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Ihara lança inseticida e herbicida

A Ihara, empresa de pesquisa e desenvolvimento especializada em defensivos agrícolas, apresenta no Show Rural 2022 um portfólio para soja e o milho. A Ihara trouxe o "Hayate", inseticida com uma nova tecnologia no Brasil para o combate das principais lagartas de difícil controle, que causam grandes prejuízos a produtividade nos cultivos de soja e milho, protegendo a lavoura por mais tempo e agindo na paralisação imediata da alimentação dessas pragas.

Já para o milho, a empresa apresentou o "Sonda", um novo herbicida seletivo com ação sistêmica que age com alta eficiência no controle das principais plantas daninhas no milharal como o amendoim-bravo, corda-de-viola, picão-preto e trapoeraba. Por conta de sua tecnologia inovadora, o Sonda pode ser aplicado em doses menores e possui um maior espectro de controle em relação aos herbicidas disponíveis no mercado. Além disso, esta solução apresenta melhor efeito residual e menor lixiviação, o que garante ótimos resultados no combate de folhas largas e total seletividade a cultura do milho.

Para o gerente de marketing regional da Ihara, Bruno Lucas, oferecer produtos que deem todo suporte para os agricultores, contribuindo para o progresso e competitividade da agricultura brasileira, é a principal missão da empresa. "Na Ihara trabalhamos com a melhor tecnologia, sempre levando inovação ao produtor, por isso apresentamos soluções acessíveis e que, de fato, resolvam as problemáticas do campo, erradicando ao máximo pragas, doenças e plantas daninhas resistentes. É isso que pretendemos mostrar na Coopavel", afirma. "A Ihara tem 56 anos de tradição em soluções para a agricultura brasileira. A empresa conta com mais de 60 fungicidas, herbicidas e inseticidas que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável", completa o gerente da Ihara.

Bayer propõe novo negócio de milho adensado

Após dois anos, a Bayer volta a participar presencialmente de uma feira agrícola no país, ainda que com uma série de restrições. Este foi um dos períodos mais movimentados da companhia em termos de lançamento, tanto em biotecnologia, proteção de cultivos como soluções digitais. Esses lançamentos estão sendo apresentados de perto pela primeira vez, como maior disponibilidade de variedades de sementes e novos produtos como o herbicida "Adengo".

São soluções como o FieldView™ - que permitem, através de dados, viabilizar novos modelos de negócio a serem lançados no mercado nos próximos anos. Um deles, que foi introduzido de forma inédita no evento, é um modelo inovador de risco compartilhado para customização da densidade ideal de milho. O programa se baseia não na simples oferta de produtos, mas na assertividade das recomendações feitas pela Bayer.

Através de dados e de prescrições de densidade populacional do FieldView™, produtores participantes no programa, ainda em fase pré-comercial passarão a receber a partir de 2022 recomendações personalizadas sobre a população ideal de milho em cada talhão, permitindo que haja um ganho real de produtividade, caso a sugestão seja bem-sucedida. Se o resultado não for o esperado pela companhia, o produtor irá receber de volta, na safra subsequente, a quantidade de sementes investida para implementar a recomendação Bayer, tendo assim, seu risco compartilhado com a empresa, atuando em parceria ao longo da safra.

Também nos últimos anos, a Bayer buscou uma maneira de estar próxima de clientes e produtores. Para isso, investiu para digitalizar esse relacionamento, seja através do programa de relacionamento e fidelidade Impulso Bayer, seja através dos eventos e atendimentos na plataforma virtual Espaço Bayer, que personaliza os conteúdos, recomendações e interações com os agricultores de acordo com suas preferências e características. O Espaço Bayer virtual foi mimetizado em uma versão física no Show Rural.